quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Wallace?

chicao_011010.jpgTitular da zaga corintiana dá apoio a reforço para a defesa e diz que todos terão iguais condições de brigar por uma vaga na equipe

Três anos depois de chegar ao Corinthians, Chicão tem pela primeira vez a dúvida de quem será o titular da zaga corintiana ao seu lado. Com William aposentado, há pelo menos três candidatos, um inclusive recém chegado, Wallace, que veio do Vitória, único contratado pelo clube até agora. Paulo André e Leandro Castán são as outras opções. Chicão admite que não conhece muito bem o reforço corintiano, mas garante que todos terão iguais condições de conquistar a vaga.


“Vou ser sincero. Não acompanhei muito os jogos do Vitória no Brasileiro e não lembro de ter visto o Wallace jogar. Mas se a diretoria achou que deveria contratá-lo é porque ele tem qualidade”, disse Chicão, ao iG, por telefone. “Ele vai ter todo o apoio e a confiança do grupo para buscar o espaço dele. Vai ser uma competição sadia, boa para o time”, avaliou.

O zagueiro prefere não arriscar quem será seu parceiro de defesa em 2011. Ao lado de William ele formou uma das melhores zagas do país entre 2008 e 2010 e sabe que o time não terá muito tempo para se entrosar antes dos compromissos da próxima temporada.

“Logo nos primeiros treinos o Tite já deve sinalizar o que pretende fazer. Não temos muito tempo. A estreia no Paulista é daqui um mês praticamente (dia 16 de janeiro, contra a Portuguesa) e depois já tem a pré-Libertadores. Vamos ter de nos adaptar o mais rápido possível”, disse Chicão. O adversário do Corinthians ainda está indefinido, mas virá da Colômbia. O primeiro jogo, no Pacaembu, deve acontecer no dia 26.

Paulo André, que ficou fora da reta final do Brasileiro por conta de uma artroscopia realizada no joelho esquerdo, foi o reserva imediato tanto de Chicão como de William em 2010. Ao lado de Chicão, Paulo André foi titular de cinco jogos na temporada. Foram três vitórias e duas derrotas. Em 15 jogos no Brasileiro, recebeu sete amarelos e um vermelho

Castán foi titular ao lado de Chicão em apenas um jogo no ano, um amistoso contra o Comercial-MS durante a Copa do Mundo. Canhoto como William, o jogador levaria vantagem na disputa por este quesito. Nas 12 partidas em que atuou, Castán recebeu dois amarelos e um vermelho.

Pelo Vitória, Wallace também ficou de fora das últimas rodadas por lesão. Ele fez ao todo 27 partidas pela equipe baiana e na média com os futuros colegas de clube, e na média de cartões recebidos, foi mais disciplinado. Foram nove amarelos e um vermelho, média de 0,3 cartões por jogo de acordo com números do FootStats. Chicão teve a mesma médias nas 25 partidas em que atuou.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Chicão prefere não jogar com Once Caldas na Libertadores

chicao_020310.jpgZagueiro acompanha decisão do campeonato colombiano que definirá o adversário corintiano no mata-mata inicial do torneio sul-americano. Final é domingo e três times estão no páreo

O zagueiro Chicão curte as férias em Mogi Guaçu, no interior de São Paulo, mas não tira os olhos do que 2011 reserva ao Corinthians. A disputa da Libertadores é o que mais preocupa o titular da defesa corintiana, que não esquece do vacilo final do Brasileiro, quando o time deixou escapar do segundo lugar do campeonato e a consequente vaga direta para a fase de grupos do torneio continental.


“Libertadores, não. Pré-Libertadores. Estamos cientes de que a Libertadores está bem distante ainda. Li no jornal que o time colombiano que vai nos enfrentar está para sair e até agora vai ser o Once Caldas. Melhor não, eles têm tradição de Libertadores, são mais copeiros. Mas sabemos que não podemos ficar escolhendo adversário. Nós nos colocamos nessa situação”, disse Chicão, ao iG, por telefone.

No domingo, Once Caldas e Tolima fazem o segundo jogo da decisão do torneio finalización, o segundo campeonato colombiano do ano. Na partida de ida o Tolima venceu por 2 a 1 e um empate lhe dá o título. Nesse caso, o Once Caldas seria o adversário do Corinthians.

Se o Tolima vencer novamente, quem pega o Corinthians é o Santa Fé, que apesar de estar fora da final, terá feito melhor campanha que o Once Caldas nos dois torneios colombianos do ano. Se o campeão da Libertadores de 2004 reverter o resultado, o adversário corintiano será o Tolima.

“A gente sabe bem da responsabilidade que será jogar essa fase e da dificuldade que teremos se chegarmos à fase de grupos. Por isso todos estão descansando bastante para começar a pré-temporada bem”, disse Chicão. Passando pelo adversário colombiano, o Corinthians entrará no grupo 7, encabeçado por Estudiantes, e que contará também com Cruzeiro e Guaraní, do Paraguai.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

PARABÉNS CHICÃO! Por mais um TÍTULO
































































































.

Troféu MESA REDONDA conssagra Chicão o melhor Zagueiro Central

OS VENCEDORES DO TROFÉU MESA REDONDA


Goleiro: Julio Cesar (Corinthians)
Lateral direito: Mariano (Fluminense)
Zagueiro central: Chicão (Corinthians)
Quarto zagueiro: Leandro Euzébio (Fluminense)
Lateral esquerdo: Roberto Carlos (Corinthians)
Primeiro volante: Marcos Assunção (Palmeiras)
Segundo volante: Elias (Corinthians)
Meia de ligação: Montillo (Cruzeiro)
Meia atacante: Conca (Fluminense)
Primeiro atacante: Neymar (Santos)
Segundo atacante: Jonas (Grêmio)
Técnico: Muricy Ramalho (Fluminense)
Revelação: Bruno César (Corinthians)
Melhor jogador: Conca (Fluminense)

Chicão manda aviso a Wallace: "Ninguém é titular absoluto"

chicao250510.jpgO zagueiro Chicão, do Corinthians, será o remanescente de uma das principais zagas do futebol brasileiro dos últimos anos. Ao lado de William, o jogador foi titular durante três temporadas em que os corintianos pouco se preocuparam com o setor. Com a aposentadoria de seu ex-companheiro, o jogador mandou um aviso ao novo zagueiro contratado, Wallace, que estava no Vitória: no Corinthians, ninguém é titular absoluto.


Para Chicão, a contratação de um novo zagueiro era importante para o alvinegro paulista. Entretanto, o novo atleta da posição não pode chegar acreditando que será o novo camisa 4, mas, sim, que terá que lutar para conquistar uma vaga entre os 11 titulares.

"A gente sabe que o Corinthians vai contratar alguns jogadores, e é importante. Sem dúvida nenhuma, tem que trazer algum zagueiro também. Agora, vai ter que brigar por posição. Ninguém chega achando que é titular absoluto", avisou o camisa 3, um dos ídolos da torcida corintiana, antes mesmo da confirmação da chegada de Wallace.

Para a temporada 2011, o Corinthians terá em seu elenco, se ninguém mais chegar e ninguém sair, sete zagueiros. Além de Chicão e Wallace, Paulo André, Leandro Castán, Thiago Heleno, Renato e André Vinícius serão as opções do técnico Tite para o setor.

Chicão e Dentinho falam da chegada de Wallace e Adriano

chicao_131210.jpgTitulares do Corinthians aprovam a chegada de reforços para a próxima temporada

A diretoria do Corinthians anunciou o acordo com o zagueiro Wallace, do Vitória. E finaliza os últimos detalhes para a contratação do atacante Adriano, da Roma (ITA). Dois dos atuais titulares da equipe aprovam a iniciativa dos dirigentes de buscar reforços para 2011.

Durante um jogo beneficente no Pacaembu, Dentinho e Chicão comentaram sobre a chegada do defensor, revelado nas categorias de base do clube baiano.

- Conheço o Wallace. Ele é um excelente zagueiro, que foi bem quando nos enfrentamos. Trata-se de um jogador de qualidade, que chega para somar - afirmou Dentinho.

- A gente sabe que o Corinthians vai contratar alguns jogadores, e é importante. Sem dúvida nenhuma, tem que trazer algum zagueiro também. Agora, vai ter que brigar por posição. Ninguém chega achando que é titular absoluto - lembrou Chicão, um dos ídolos da torcida corintiana.

Em relação à contratação de Adriano, o jovem atacante comemora.

- Espero que o Adriano chegue, pois é um cara diferenciado. Se vier, o elenco receberá de braços abertos. Em 2010, o Ronaldo, o Jorge Henrique e eu nos machucamos bastante. Precisamos de mais atacantes - lembrou Dentinho.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

HOMENAGEM AO CHICÃO































































.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Chicão e R. Carlos discordam sobre motivos da perda do Brasileiro

chicao_280710b.jpgO empate por 1 a 1 com o Goiás na última rodada do Campeonato Brasileiro não só tirou do Corinthians qualquer possibilidade de conquistar o título nacional, como também deslocou o time para a terceira posição. Os erros que causaram a decepção não são unânimes entre os jogadores do clube.

Para o lateral esquerdo Roberto Carlos, a principal falha foi o jogo contra o Vitória (1 a 1 no Barradão) e as partidas no Pacaembu. "Nós tínhamos o título nas mãos e deixamos escapar no jogo contra o Vitória. Os jogos aqui no Pacaembu também fizeram falta no final", avaliou o experiente defensor. Ele se refere às derrotas para Grêmio e Atlético-GO, além dos empates com Ceará e Botafogo. 

Já o zagueiro Chicão prefere eleger os sete jogos sem vencer sob o comando de Adilson Batista e do interino Fábio Carille. De 26 de setembro a 24 de outubro, o clube de Parque São Jorge empatou com Botafogo, Ceará e Guarani, e perdeu para Internacional, Atlético-MG, Atlético-GO e Vasco. "Passamos uma dificuldade enorme. Uma equipe que queria ser campeã não poderia ter feito isso", reclamou.

Além do atual técnico Tite, o time também foi treinado por Mano Menezes e Adilson Batista, além de um pequeno período sob o comando do interino Fábio Carille. Roberto Carlos e Chicão também discordam sobre a influência desse fato no rendimento da equipe.

"Não atrapalhou. São coisas que acontecem no futebol e temos um treinador de alto nível. Ano que vem será melhor", prometeu o lateral esquerdo.

"Atrapalhou. Cada um quer implantar seu método e nós temos que nos adaptar rápido, durante o campeonato", opinou Chicão.

O Corinthians volta aos treinos no dia 3 de janeiro, já visando ao início do Campeonato Paulista.

Vencedores da Bola de Prata se destacam nos números

chicao_260509.jpgJogadores que compõem a seleção da tradicional premiação lideraram estatísticas dentro do Campeonato Brasileiro

Os contemplados da 41ª edição da Bola de Prata foram conhecidos nesta segunda-feira, no Museu do Futebol, localizado no estádio do Pacaembu, no dia seguinte ao término do Campeonato Brasileiro. O time tem quatro corintianos, dois atletas do Flu, dois do Cruzeiro, um do Santos, um do São Paulo e um do Grêmio.


Veja abaixo alguns números dos atletas que compõem a seleção do prêmio:

O vencedor na meta foi Fábio, do vice-campeão Cruzeiro. O goleiro só ficou de fora de duas partidas no Brasileirão e terminou com um total de 119 defesas - média de 3,3 intervenções por jogo. Contra Santos e Grêmio, fora de casa, o arqueiro se destacou com 7 defesas. O recordista neste quesito foi Rogério Ceni, do São Paulo, com 157.

Na lateral-direira, Mariano foi o vencedor. O jogador campeão pelo Fluminense atuou em 34 das 38 partidas da equipe e terminou com uma média de quase 6 cruzamentos por jogo, sendo 30% deles certeiros. Em números absolutos, Mariano ficou em 2º nesta estatística - 201 -, atrás apenas do atacante Thiago Ribeiro, do Cruzeiro, que cruzou 212 vezes.

Pelo lado esquerdo, o corintiano Roberto Carlos recebeu o prêmio. O veterano atleta completou 23 cruzamentos e liderou o quesito chutes a gol entre todos os laterais do torneio, com 77 finalizações. O segundo atleta da posição que aparece entre os maiores chutadores é Jean, do São Paulo, com 47.

A dupla de zaga é formada por dois rivais: Chicão e Alex Silva. O corintiano atuou mais vezes, 25 jogos contra 21, e também efetuou mais desarmes - 63 a 55. Mesmo tendo atuado em menos oportunidades, o são-paulino fez mais faltas: 26, contra apenas 16 de Chicão.

No meio de campo, os volantes corintianos se destacaram nos passes e formam o setor. Elias e Jucilei deram cinco assistências para gol cada um. Em números totais, Elias completou 1195 passes, sendo quase 90% certos, enquanto Jucilei deu 1454 - média de acerto de quase 88%.

Os homens de criação são argentinos. Conca e Montillo foram os melhores meio-campistas, mas alguns dos números de ambos são bem diferentes. O craque do Fluminense jogou em todas as 38 rodadas do campeonato, ao passo que o cruzeirense esteve em campo 21 vezes.

Conca chutou 87 vezes contra as metas adversárias e marcou 9 gols. Já Montillo finalizou menos, 62, e ficou apenas dois gols atrás, com 7. No quesito dribles, o argentino de Belo Horizonte, mesmo tendo atuado menos, liderou em números absolutos. Montillo driblou 109 vezes, contra 104 de Conca.

No ataque, o artilheiro e vice do Brasileirão formam a dupla ofensiva. Jonas, com 23 gols, foi o jogador que mais chutou a gol no campeonato. Foram 135 finalizações. O santista Neymar, que terminou com 17 gols, foi o terceiro que mais arriscou chutes, com 102. O segundo nesta estatística foi Bruno César, do Corinthians, que finalizou 108 vezes.

Corinthians domina a BOLA DE PRATA

chicao_031209.jpgChicão, Roberto Carlos, Elias e Jucilei foram os melhores de suas posições. Campeão Fluminense teve dois nomes, assim como o Cruzeiro, 2º colocado do Campeonato Brasileiro


O Corinthians dominou a 41ª edição da Bola de Prata, tradicional premiação do futebol brasileiro realizada em conjunto pela revista "Placar" com a "ESPN Brasil". O terceiro colocado do Brasileirão teve quatro nomes na seleção - Chicão, Roberto Carlos, Elias e Jucilei, enquanto o campeão Fluminense teve dois jogadores na equipe: Conca e Mariano.

Conca, aliás, que ganhou a Bola de Ouro, dada ao melhor jogador do campeonato. Além do meio-campista do time carioca, outro estrangeiro também faz parte da equipe do torneio: o argentino Montillo, do Cruzeiro. O vice-colocado do campeonato também emplacou o goleiro Fábio entre os melhores.

Paulo Passos
Neymar levou a Chuteira de Ouro e a Bola de Prata na premiação desta segunda-feira

Jonas, artilheiro do Campeonato Brasileiro pelo Grêmio, ficou com uma vaga no ataque ao lado do jovem santista Neymar, que também levou a Chuteira de Ouro por ser o goleador da temporada do futebol nacional, contabilizando os gols no Paulistão, Copa do Brasil e Brasileirão. Os dois atacantes ficaram com 42 gols no ano, mas o santista levou a melhor no peso dos tentos.

Além de Santos e Cruzeiro, o São Paulo, apesar da fraca campanha dentro do torneio, teve um jogador na seleção. O zagueiro Alex Silva ficou com um lugar na zaga. Lembrando que em 2009, Miranda e André Dias, também do time paulista, formaram o sistema defensivo na premiação.

Confira abaixo como ficou a seleção:

G: Fábio (Cruzeiro)

LD: Mariano (Fluminense)
Z: Alex Silva (São Paulo)
Z: Chicão (Corinthians)
LE: Roberto Carlos (Corinthians)

V: Elias (Corinthians)
V: Jucilei (Corinthians)
M: Conca (Fluminense)
M: Montillo (Cruzeiro)

A: Neymar (Santos)
A: Jonas (Grêmio)

Chuteira de ouro (artilheiro da temporada): Neymar (Santos)
Bola de Ouro (melhor jogador): Conca (Fluminense)

Chicão sobre Adriano: "estamos esperando o cheque do Ronaldo"

chicao250510.jpgInfeliz na Roma, o atacante Adriano está sendo especulado em clubes brasileiros. Um deles é o Corinthians, que tem na figura de Ronaldo o principal negociador. De acordo com o zagueiro Chicão, o clube está esperando a ajuda financeira que o camisa 9 prometeu.

O ex-jogador do Milan admite abrir mão de parte do valor que tem direito pelos patrocínios se for para contratar Adriano. "Ronaldo falou que vai trazê-lo. O presidente (Andrés Sanchéz) disse que não. Estamos esperando o cheque do Ronaldo", brincou o defensor, que ganhou a Bola de Prata da revista Placar e da emissora de televisão ESPN Brasil como melhor zagueiro do Campeonato Brasileiro.

Chicão admitiu que marcar Ronaldo e Adriano no treino será muito complicado, mas avisou que qualquer jogador que seja contratado precisa chegar respeitando os outros. "É difícil chegar em um grupo e ser respeitado. Nós respeitamos todos, e quem chegar tem que respeitar o grupo", afirmou.

Se Adriano pode chegar, quem com certeza sairá do elenco é William, que por três anos foi parceiro de Chicão na zaga alvinegra. O capitão da equipe confirmou sua aposentadoria no final deste ano."Foi um jogador que me ajudou bastante. Ajudava dentro de campo, no posicionamento, então sem dúvida vai fazer falta", lamentou.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

William aponta quatro jogadores com potencial para ser o novo capitão

chicao250510.jpgPara atual dono da braçadeira, que vai se aposentar domingo, Alessandro, Chicão, Roberto Carlos e Ronaldo podem assumir a função no Timão

Mais do que um substituto, o Corinthians terá de procurar também um novo capitão com a aposentadoria de William. Além de ajudar a diretoria a encontrar no mercado um novo defensor, o camisa 4 dá dicas de quem poderá passar a usar a braçadeira a partir da temporada 2011.

William assumiu o posto no início da Série B de 2008. Indicado por Mano Menezes, com quem trabalhou no Grêmio, chegou ao Parque São Jorge para ser o líder do grupo. Desde então, não mais perdeu a posição, mesmo depois da saída do comandante e da chegada de Adilson Batista e, posteriormente, de Tite.

- Alessandro, Chicão, Ronaldo e Roberto Carlos são pessoas que têm essa ascendência sobre o grupo, com a faixa ou não. Temos vários líderes na equipe. Estar usando a tarja é uma coisa meramente figurativa. Qualquer um poderia estar usando e estaria em boas mãos – afirmou.

William evita dar um nome em específico, principalmente por acreditar que a liderança diante da equipe seja mais importante do que a braçadeira. Quando o defensor esteve fora por lesão e suspensão, Chicão e Ronaldo chegaram a ser os capitães.

- Aqui não é igual na política, que você tem um nome e briga para colocá-lo. Futebol é diferente. As pessoas internamente e naturalmente têm seus líderes. Você pode dar a faixa para alguém, mas as pessoas dentro do grupo acabam não aceitando. Você respeita mais um que não é o capitão do que outro que tenha a tarja - completou.

Com foco na Libertadores, Tite quer reservas para Ronaldo e Roberto

chicao_020310.jpgTreinador aguarda também pela vinda de um novo zagueiro para ocupar o lugar do capitão William e mais um atacante de velocidade

Em meio à reta final do Campeonato Brasileiro, a diretoria do Corinthians já se movimenta atrás de reforços para a temporada 2011. Apesar de não gostar de falar sobre o assunto, o técnico Tite admitiu que quer peças para substituir o lateral-esquerdo Roberto Carlos, o atacante Ronaldo e o zagueiro William.


O Timão, aliás, vem sofrendo em 2010 por não ter reservas à altura para suas duas principais estrelas. Para a vaga de Roberto Carlos, o treinador tem apenas o garoto Dodô, de 18 anos, pouco aproveitado. Já para a função do Fenômeno, Souza nunca agradou e sequer vem sendo relacionado para as partidas.

- Não sei se são prioridades, mas são importantes. Precisamos de jogadores (atacantes) de velocidade também – disse o comandante alvinegro.

Tite ainda fará uma avaliação dos cerca de 20 jogadores emprestados que retornarão ao clube em janeiro. Alguns deles podem ser aproveitados, como o lateral-esquerdo Marcelo Oliveira, emprestado ao Grêmio Prudente, e o meia-atacante Edno, atualmente no Botafogo. O meia Morais, agora no Bahia, tem presença certa no elenco.

A diretoria do Corinthians está à procura também de um outro zagueiro, já que o capitão William se aposentará. O grupo atual tem Chicão, Paulo André, Leandro Castán, Thiago Heleno e o garoto Renato. A direção, contudo, sonha com um nome de peso.

O mesmo acontece com quem será a sombra de Ronaldo. O clube sonha com um atacante renomado. Adriano, centroavante comentado nas últimas semanas, recebeu elogios de Tite. O treinador, porém, não quer entrar em detalhes sobre o suposto interesse.

- É um grande jogador, que está acima de qualquer avaliação de qualquer treinador pela qualidade que tem – ressaltou o comandante.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Homenagem do Mês

Oi, Gente. Tudo bem?
Vim falar o porque da nossa "Homenagem do Mês" ser ao jogador William Machado de Oliveira, zagueiro-capitão do TIMÃO.
A homenagem a ele vem do fato de ele estar fazendo seus ultimos jogos no timão, e estar próximo a pendurar as chuteiras e encerrar sua carreira. 
Pelo fato dele e o Chicão ter uma grande amizade.
Por isso, William nossa Homenagem do Mês de dezenbro de 2010 é plenamente a você, e desejamos tudo de bom no seu futuro, e digo que a nação corinthiana nunca o esquecerá!

domingo, 28 de novembro de 2010

Parabéns Gustavo!

Nós do FCO Chicão Única Estrela estamos aqui hoje para parabenizar essa linda criança pelos seus 6 anos.



Gustavo,
Parabéns por mais um ano de vida,
que Deus te ilumine o seu caminho sempre,
que te proteja no seu dia a dia,
sempre estaremos aqui torcendo para que mais um craque venha jogar no TIMÃO,
para podermos prestijiar-lo e admira-lo,
assim como prestijiamos e admiramos o vosso pai!
Que Deus esteja sempre com você !

Obrigada por fazer a vida desse jogador muito feliz !

Beijão!

OBS.: a notícia foi retirada do site do Chicão, pois não somos ninguem de sua família.

























.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Prêmio Craque do Brasileirão

chicao_020310.jpg 



Elencos de Cruzeiro e Corinthians concorrem em sete prêmios em lista que tem três jogadores concorrendo por cada posição. Líder Flu tem quatro

Se na briga pelo título do Campeonato Brasileiro Cruzeiro e Corinthians são os que menos têm chances de levar o caneco, na disputa do Prêmio Craque Brasileirão a Raposa e o Timão saíram na frente do Fluminense. O time mineiro tem seis jogadores indicados mais o técnico Cuca para o evento que acontece no dia seis de dezembro, no Rio de Janeiro. Já o paulista tem cinco atletas na disputa, mas com o meia Bruno César concorrendo a três prêmios.

Líder da Série A no momento, o Flu teve "apenas" três jogadores indicados, além do técnico Muricy Ramalho.  Ao todo, 13 clubes têm atletas concorrendo.

Os nomes foram divulgados nesta sexta-feira pelo técnico da Seleção Brasileira principal, Mano Menezes, e pelo treinador da Seleção Sub-20, Ney Franco, com uma novidade: desta vez não foram anunciados os três jogadores que concorrem ao prêmio de Craque do Brasileirão. A justificativa é que, divulgando os nomes, já se estaria antecipando os vencedores de suas respectivas posições.

Também já estão eleitos, através de votação popular desde o dia nove de novembro, os três finalistas do Craque da Galera. Bruno César, do Corinthians, Conca, do Fluminense, e Dedé, do Vasco, que também concorre a três prêmios, foram os mais votados. Em 2009, o meia argentino foi o vencedor e agora tenta o bi.


O evento no Rio, que ocorrerá no Theatro Municipal, terá como atrações musicais dos sambistas Diogo Nogueira e Arlindo Cruz. A festa ainda terá números com Marcelo Adnet. O atacante Ronaldo, o Corinthians - por conta do centenário -, a Seleção Brasileira de 1970 e a torcida do Bahia serão os homenageados neste ano.

Confira os três indicados por cada posição:

Melhor goleiro: Fábio (Cruzeiro), Jefferson (Botafogo) e Victor (Grêmio).

Melhor lateral-direito: Jonathan (Cruzeiro), Léo Moura (Flamengo) e Mariano (Fluminense).

Melhor zagueiro pela direita: Alex Silva (São Paulo), Chicão (Corinthians) e Dedé (Vasco)

Melhor zagueiro pela esquerda: Leandro Euzébio (Fluminense), Miranda (São Paulo) e Réver (Atlético-MG)

Melhor lateral-esquerdo: Kleber (Internacional), Diego Renan (Cruzeiro) e Roberto Carlos (Corinthians)

Melhor volante pela direita: Fabrício (Cruzeiro), Jucilei (Corinthians) e Willians (Flamengo)

Melhor volante pela esquerda: Arouca (Santos), Elias (Corinthians) e Marcos Assunção (Palmeiras)

Melhor meia pela direita: D'Alessandro (Internacional), Montillo (Cruzeiro) e Paulo Baier (Atlético-PR)

Melhor meia pela esquerda: Bruno César (Corinthians), Conca (Fluminense) e Douglas (Grêmio)

Atacante 1: Eder Luis (Vasco), Jonas (Grêmio) e Thiago Ribeiro (Cruzeiro)

Atacante 2: Kleber (Palmeiras), Loco Abreu (Botafogo) e Neymar (Santos)

Melhor técnico: Cuca (Cruzeiro), Muricy Ramalho (Fluminense) e Renato Gaúcho (Grêmio)

Reveleção: Bruno César (Corinthians), Dedé (Vasco) e Neto (Atlético-PR)

Melhor árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS), Paulo Cesar Oliveira (SP) e Sandro Meira Ricci (DF)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Chicão: "Não podemos abaixar a cabeça"


Chicão teve boa atuação no empate
Após o empate contra o Vitória, Chicão lamentou as chances desperdiçadas pelo Timão. “Não adianta a gente falar agora. Deveríamos ter aproveitado as oportunidades e ter feito os gols”, declarou o zagueiro.

O camisa 3 ainda falou sobre a sequência do campeonato. “A situação é difícil, mas não podemos abaixar a cabeça. Vamos torcer para as equipes que vão enfrentar o Fluminense”, concluiu o corinthiano.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Chicão lamenta gols perdidos e torce contra o FLU

Zagueiro lembra que agora Timão só pode ser campeão se vencer e contar com tropeço do time carioca, que assumiu o topo no último domingo

O Corinthians perdeu a liderança do Brasileirão ao empatar com o Vitória no último domingo, no Barradão, e ver o Fluminense golear o São Paulo por 4 a 1 na Arena Barueri. O time carioca assumiu o topo com 65 pontos, um a mais do que o Timão. Sem querer falar sobre o jogo do rival contra o Flu, Chicão preferiu falar apenas sobre o desempenho do próprio time, principalmente no ataque.

- Não adianta falar agora. Deveríamos ter aproveitado as oportunidades e ter feito os gols - resumiu o zagueiro ao site oficial do clube.

Chicão sabe que para ser campeão, o Corinthians não depende mais de si e precisa torcer por um tropeço do Fluminense, que ainda enfrenta Palmeiras e Guarani. O Timão encara Vasco e Goiás nas duas últimas rodadas.

- A situação é difícil, mas não podemos abaixar a cabeça. Vamos torcer pelas equipes que vão enfrentar o Fluminense - acrescentou o jogador, iniciando a torcida contra os cariocas.
 

Chicão ainda acredita no título, mas reconhece: "ficou difícil"

chicao_310510.jpgO abatimento estava estampado no rosto do zagueiro Chicão após o empate entre Corinthians e Vitória, que tirou do clube paulista a liderança do Campeonato Brasileiro, a duas rodadas do fim da competição. Apesar de dizer que a conquista ainda é possível, o defensor admitiu as dificuldades de reação.


"A gente acredita, mas sabemos que está difícil. O Fluminense joga com o time reserva do Palmeiras e com o Guarani, que chegará praticamente rebaixado. A gente pega o Vasco, que briga pela Sul-americana, e o Goiás, que também está quase rebaixado, mas sempre dificulta no Serra Dourada", disse o camisa 3, antes de o rebaixamento do time goiano ser decretado.

"Ficamos o campeonato todo entre os três primeiros e nosso trabalho nos faz acreditar até o final. São dois jogos e não tem nada decidido. A vontade de ser campeão, sem dúvida, nos motiva muito", completou.

Além de Fluminense (65 pontos) e Corinthians (64), o Cruzeiro ainda está vivo na briga pelo título. Com a vitória diante do Vasco, neste domingo, os mineiros chegaram aos 63 pontos e precisam vencer seus compromissos contra Flamengo e Palmeiras, além de torcerem contra os rivais, para sonhar com a taça.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Ah! Não William! Só faltam 3 partidas

 

A três partidas da separação - William se aposentará no fim do ano - zagueiros miram recorde diante do Vitória
 
Uma das melhores duplas de zaga dos últimos anos no Brasil está chegando ao fim. Após o Brasileirão (restam apenas três rodadas), Chicão perderá o parceiro William, que já traçou sua aposentadoria.


– Eu esperava que ele adiasse (a aposentadoria), só que ele já está 90% decidido. Ele me ajudou muito no clube. Mas o Corinthians vai achar um substituto à altura – disse o zagueiro Chicão, ao LANCENET!.

Se passar o duelo contra o Vitória sem levar gol, a equipe de Tite igualará uma marca obtida há pouco mais de um ano, à época comandada por Mano Menezes. Em junho de 2009, a defesa alvinegra ficou quatro partidas invicta. Esta, por sinal, foi a maior sequência recente do Corinthians, que havia conseguido a marca uma vez, em 2008.

Nesta reta final do Brasileirão, Chicão e William já somam sete jogos consecutivos como titulares. Neste período, foram apenas três gols sofridos (média de 0,42/jogo).

– Tite mudou o posicionamento tático. Ele segura mais o Alessandro e o Roberto Carlos do que o Adilson (Batista, antigo treinador). Tem o Ralf e o pessoal da frente que ajudam. Nós damos confiança para o time atacar – completou Chicão.

Ele e William formam, de maneira absoluta, a defesa titular do Corinthians desde 2008. Conquistaram a Série B (2008), Paulistão e Copa do Brasil (2009). E ajudaram a tornar o setor uma referência no país. Com ambos, o Timão teve a menor média de gols sofridos em cinco (Paulistas de 2008, 2009 e 2010, e Copa do Brasil e Série B de 2008) de oito competições já disputadas.

Nessas três temporadas, os dois também passaram bom tempo no departamento médico, o que sempre enfraquecia o sistema defensivo.
Chicão já sofreu lesões no tornozelo direito (duas vezes), nas duas coxas, no pé e joelho direitos. Já William chegou a lesionar os dois pés, além de coxa e joelho direitos.

Agora, o capitão, de 34 anos, está decidido em pendurar as chuteiras para estudar inglês no ano que vem, na Inglaterra e em Malta. Foram 157 jogos e quatro gols pelo clube, que já vive um clima de despedida para uma dupla que vai deixar saudades.

Com a palavra - Chicão

A nossa parceria casou bem

Eu e William fizemos uma parceria que casou bem. Unimos o útil ao agradável. Ele é mais alto, tem bom posicionamento no jogo aéreo, mas não tem tanta velocidade como eu por baixo. Nesse sentido, ele me ajuda muito no posicionamento, orienta, está sempre falando. A nossa experiência no futebol também ajudou, pois passamos por muita coisa na carreira. É uma excelente pessoa, vou torcer para ele jogar os últimos jogos comigo.
 

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Chicão: "Nós não precisamos do São Paulo"

chicao_not.jpgChicão foi capa do jornal Lance! desta terça-feira. Um dos líderes do grupo, o camisa 3 comemora a liderança corintiana na reta final do Brasileirão e o fato de não depender de nenhum tropeço rival para levantar a taça no ano do centenário do clube. 

"Nessa situação, não precisamos do São Paulo. Só dependemos de nós mesmos. Os profissionais que entrarem em campo contra o Fluminense (na próxima rodada) vão fazer seus trabalhos, nós faremos o nosso. Não precisamos do São Paulo por mérito nosso",disse o xerife, em entrevista à Rádio Globo. "Não tenho dúvidas de que o Rafael Moura ajudou a gente (marcou o gol). Não só ele como toda a equipe do Goiás. Todos lutaram e a gente fica feliz de ver isso, porque é uma equipe que está brigando contra o rebaixamento. São coisas do futebol: cada um vai brigar pelo seu objetivo", completou.
 
Com a liderança assegurada a três rodadas do final do Brasileirão, o zagueiro ainda lembra que em campo é cada um lutando pela sua equipe e, mais uma vez, ressalta a vantagem que o Corinthians tem de depender de suas próprias pernas para chegar ao título nacional.

"Tenho muito respeito pelo São Paulo, por tudo o que representa, por sua grande estrutura e diretoria. Mas nessa situação, não precisamos do São Paulo. Só dependemos de nós mesmos. Os profissionais que forem a campo contra o Fluminense vão fazer os trabalhos deles".

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Chicão revela sofrimento com o jogo do Flu

chicao140510.jpgZagueiro admite que secou rival na luta pelo Campeonato Brasileiro, e afirma que competição só deve ser decidida na última rodada

O Corinthians retomou a liderança do Campeonato Brasileiro no momento mais agudo da competição, a três rodadas do fim. E logo após o empate do Fluminense com o Goiás, por 1 a 1, o discurso da humildade e seriedade foi adotado por todo o elenco. Primeiro, Elias e Ronaldo se manifestaram no Twitter sobre os resultados da 35ª rodada e ressaltaram as dificuldades que o time terá nos jogos derradeiros. Depois, o zagueiro Chicão adotou o mesmo tom. Ele admitiu que sofreu assistindo ao jogo do Flu e secando o rival, e já avisou que o Timão não pode nem pensar em comemorar alguma coisa.

- Ainda não conquistamos nada. Ficamos felizes pelo resultado do Goiás, que empatou. Foi difícil ganhar do Cruzeiro. Assisti ao jogo do Fluminense com uns amigos, torcendo, sofrendo. O time do Goiás soube suportar a pressão. Ficamos felizes pelo resultado, mas sabemos que temos de ganhar do Vitória e dos outros para ganharmos (o título) - disse o zagueiro, em entrevista à Rádio Globo.

Mesmo com as dificuldades, o Corinthians entra como favorito para os duelos finais da competição. Afinal, enfrenta equipes que ou brigam contra o rebaixamento, ou estão sem maiores pretensões no fim de temporada. Tomando muito cuidado ao falar dos próximos rivais, Chicão demonstrou confiança e cautela ao mesmo tempo.

- Teoricamente é muito fácil falar, mas na prática é diferente. Sabemos que será difícil contra o Vitória, que está brigando pelo rebaixamento. Mas eu confio na minha equipe - afirmou Chicão.

O jogador acredita que o título só será decidido na última rodada. Até lá, o Timão enfrenta Vitória, em Salvador, Vasco, no Pacaembu, e Goiás, no Serra Dourada. Com a vitória no confronto direto contra o Cruzeiro, Chicão vê apenas o Fluminense como principal rival nessa batalha.

- O Campeonato Brasileiro é um dos mais difíceis do mundo. A maioria dos campeonatos que eu vejo são decididos três, quatro rodadas antes do fim. Hoje está disputado e creio que será até o final. O Corinthians é forte candidato, assim como o Fluminense. Acho que o Cruzeiro está um pouco atrás, mas também na briga - analisou o camisa 3 do Timão.

Chicão comemora a LIDERANÇA

chicao260510.jpgEmpate entre Goiás e Fluminense anima Chicão, que prega atenção contra o Vitória

Mesmo depois da vitória conquistada sobre o Cruzeiro neste sábado, por 1 a 0, o torcedor corintiano assistiu à rodada no domingo como se o Timão estivesse em campo novamente. E de uniforme verde!

Com o gol do ex-corintiano Rafael Moura e o empate entre Fluminense e Goiás, no Engenhão, por 1 a 1, o Alvinegro confirmou o retorno à liderança do Brasileirão. Um ponto à frente do Tricolor carioca, com 63, o clube depende agora de suas próprias forças nas últimas três rodadas pelo quinto título nacional.

- A gente fica feliz com a liderança, mas ainda nao conquistamos nada. Ficamos felizes com o resultado do Goiás, mas sabemos que temos que vencer nossos jogos para sermos campeões. Vai ser dificil contra o Vitória, mas é um jogo que não podemos perder. Quero ser um vencedor, e só vence quem ganha o título - disse o zagueiro, em entrevista à Rádio Globo.

E desde a chegada do técnico Tite, a zaga tem feito a diferença. Nos últimos seis jogos, o Timão sofreu apenas um gol. Segundo o zagueiro Chicão, no entanto, o time não deve esperar vida fácil no Barradão. No ano passado, a três rodadas do fim, o São Paulo era o líder na tabela, dois pontos à frente do campeão Flamengo.

- O Vitória briga contra o rebaixamento, mas eu confio na nossa equipe. Sei que a torcida vai nos apoiar e que vamos vencer. O Ronaldo disse que o campeonato vai ser decidido na última rodada, e eu penso como ele. Temos jogo dificil (no próximo domingo) e sabemos que o Fluminense também tem jogo difícil contra o São Paulo. O Corinthians é um forte candidato ao título, assim como o Fluminense - concluiu o xerife alvinegro.

Chicão diz: "Eu vi penalti no Ronaldo"

Zagueiro acredita que críticas do Cruzeiro foram usadas como desculpa para derrota no Pacaembu, que deixou o Timão na liderança do Brasileiro

A vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro e o empate por 1 a 1 entre Fluminense e Goiás devolveram a liderança do Campeonato Brasileiro ao Corinthians, com 63 pontos. Neste domingo, o zagueiro Chicão aproveitou para secar o Flu e comemorar o retorno à ponta da tabela. Mas também fez questão de afastar as polêmicas em relação ao pênalti em cima de Ronaldo, que deu origem ao gol da vitória.



No lance, o zagueiro Gil se chocou com o atacante dentro da área e o árbitro Sandro Meira Ricci apitou a penalidade. Para Chicão, as reclamações do Cruzeiro não procedem - inclusive as de dois possíveis pênaltis em Thiago Ribeiro.

- Eu vi pênalti no Ronaldo. No Thiago Ribeiro eu não vi, como o pessoal está falando. Não que seja uma choradeira por parte do Cruzeiro, mas sempre que perdemos temos de afirmar alguma coisa. O Cruzeiro foi melhor que o Corinthians, mas foi bom que vencemos mesmo jogando mal - destacou Chicão, em entrevista à Rádio Globo.

O zagueiro analisou o lance e crê que seu companheiro de posição fez o pênalti mais por inexperiência do que por qualquer outra coisa. Para Chicão, o lance servirá de aprendizado para Gil, que acabou expulso após cometer a falta dentro da área.

- Na minha opinião ele foi imprudente (Gil). Ele foi com força no Ronaldo. Quando estamos na área, a gente evita fazer essas coisas, e acho que isso ele vai aprender com o tempo, como nós aprendemos - afirmou Chicão.

O Corinthians tem mais três jogos na busca pelo título brasileiro. Primeiro, pega o Vitória, em Salvador, no próximo domingo. Na sequência, enfrenta Vasco, em casa, e Goiás, fora.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

William (com 90% de chances de parar) quer se despedir da carreira com o título

chicao_020310.jpgAs quatro partidas que restam para o término do Campeonato Brasileiro provavelmente serão as últimas do zagueiro William como jogador profissional. O capitão do Corinthians reafirmou a intenção de se aposentar no final do ano, mas antes quer ser campeão nacional.

"Estou muito empenhado em terminar bem esta competição, no primeiro lugar. Após o campeonato, vou conversar com a minha família para decidir o meu futuro. Mas tenho 90% de chances de parar de jogar. As coisas já estão bem encaminhadas para isso", admitiu.

Aos 34 anos, com 156 partidas disputadas pelo Corinthians e passagens por outros sete clubes, William está cansado da rotina de atleta. O zagueiro pretende viajar bastante em 2011 e morar em outro país para estudar inglês. Já cogitou se mudar para Austrália, Inglaterra e Malta. Quando retornar ao Brasil, quer investir em uma empresa de consultoria financeira.

Por enquanto, William deixa os planos de lado para se focar exclusivamente no Campeonato Brasileiro. O quase ex-jogador ficou bastante satisfeito com a melhora do sistema defensivo corintiano depois da contratação do técnico Tite. "A gente tinha piorado um pouco nesse ponto, mas conseguimos recuperar a força. Isso dá equilíbrio para a equipe e tranquilidade para os atacantes", disse.

O principal candidato a substituir William como parceiro de Chicão na próxima temporada é Paulo André, atualmente lesionado. Leandro Castán, Thiago Heleno e Renato são os outros zagueiros do Corinthians, que poderá contratar outro jogador para suprir a ausência de seu capitão.

Chicão não treina, porém enfrenta o Cruzeiro

chicao_121110.jpgPela primeira vez desde que reassumiu o comando do Corinthians, o técnico Tite terá praticamente todo o elenco à disposição (à exceção de Paulo André) para montar o time que enfrentará o Cruzeiro neste sábado (13), às 19h30 (de Brasília), no Pacaembu. Os trabalhos desta quinta-feira (11), no entanto, foram prejudicados por duas ausências.
Por determinação da comissão técnica alvinegra, o zagueiro Chicão e o lateral-direito Alessandro não participaram da atividade técnico-tática comandada pelo treinador no gramado principal do CT Joaquim Grava, pois ficaram realizando trabalhos de fortalecimento muscular na academia.

Chicão até se arriscou em alguns chutes a gol, mas logo após a abertura dos portões à imprensa, cerca de 40 minutos depois do horário previamente marcado para o início do treino, deixou o gramado para fazer companhia a Alessandro.

A partida contra os mineiros é de fundamental importância para o Corinthians na luta pelo título, já que ambos os times somam 60 pontos e estão colados no líder Fluminense, que tem 61.

Não foi possível observar se Tite comandou um treino coletivo antes de liberar a presença dos jornalistas, mas, se não preparar nenhuma surpresa para o rival Cuca, o provável Corinthians para a “decisão” de sábado é o seguinte: Júlio César; Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias e Bruno César; Ronaldo e Dentinho.

O atacante Jorge Henrique treinou novamente com total desenvoltura e será peça importante no banco de reservas para o técnico gaúcho.

Vixi Paulo André !!

chicao_020310.jpgApesar do técnico Tite poder contar com praticamente todo elenco, o Corinthians seguirá com uma importante baixa. Trata-se de Paulo André. Primeira opção na reserva de Chicão e Willian, o zagueiro já não vinha sendo relacionado nas últimas partidas devido ao problema no joelho esquerdo e será submetido a uma artroscopia ainda nesta quarta-feira.
O jogador terá que ser reavaliado após o procedimento e não tem data definida para voltar aos gramados.

No momento, o zagueiro que vem sendo relacionado para o banco de reservas é Leandro Castán. No entanto, com o bom momento da dupla Chicão e Willian, o clube alvinegro não está tendo problemas no setor. Thiago Heleno e Renato são outras peças a disposição para a defesa.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

12 homes e 1 dúvida !!

chicao140510.jpgCom a volta de Jorge Henrique, Tite terá, pela primeira vez desde o retorno ao clube, excesso de opções contra o Cruzeiro

A recuperação meteórica de Jorge Henrique proporcionará a Tite um cenário incomum para os técnicos que o Corinthians teve ao logo do Campeonato Brasileiro: o excesso de peças para escalar a equipe.


Diante do Cruzeiro, no sábado, o treinador ganhará o atacante como reforço de peso depois de o jogador desfalcar o Timão por oito partidas por causa de uma grave lesão na coxa esquerda.

– Preciso dos trabalhos durante a semana, quando ele vai dar a resposta. Jorge tem a possibilidade de enfrentar o Cruzeiro, mas ainda não dá para afirmar – disse o cauteloso comandante corintiano.

Com a volta de Jorge Henrique, Tite até cogita mudar a formação tática do time. Para ele, existem dois esquemas aos quais o grupo de atletas já está acostumado – o atual, com quatro componentes no meio de campo e dois atacantes, e outro (4-2-3-1) que foi base do Corinthians campeão paulista e da Copa do Brasil, em 2009.

No primeiro, Ralf atua como guardião da defesa e permite que Elias e Jucilei cheguem à frente, auxiliando Bruno César, cérebro alvinegro, na armação das jogadas ofensivas.

A outra opção seria abrir Jorge Henrique e Dentinho, um de cada lado do campo. A ressalva dessa formação seria a perda de um atleta na zona central do gramado. Elias ou Jucilei teria de sair para a entrada de JH.

No momento decisivo do Brasileiro, o Timão se reforça em busca do penta. Basta Tite escolher as peças.

As lesões do Corinthians no Brasileiro

Dentinho
Antes de JH, o atacante foi o último a deixar o DM. No total, foram 20 jogos fora (quadril, coxas direita e esquerda).

Ronaldo
Dores no púbis e nas duas panturrilhas o atrapalharam (26 partidas).

Bruno César
Lesão na coxa direita (duas partidas).

Ralf e Jucilei
O primeiro sofreu com torção no tornozelo esquerdo (oito jogos). Já Jucilei teve dores musculares (um confronto).

Quarteto defensivo
Alessandro não participou de seis partidas (estiramento no ligamento do joelho direito e contratura na mesma perna). Chicão machucou a coxa direita e o joelho direito (12 jogos). William teve contusão na coxa direita (três partidas). Roberto Carlos foi poupado uma vez (dores musculares nas coxas).

A receita de Tite: defesa forte e 'time solidário'

chicao_280710b.jpgTreinador arrumou o setor, que sofreu um gol em quatro jogos sob seu comando. No grupo, todos têm obrigação de marcar

"Equilíbrio" é a palavra mais falada por Tite desde sua volta ao Corinthians. Para o treinador, uma equipe precisa ser balanceada em todos os setores. Mas o segredo para ter acertado e tirado o Alvinegro da crise, somando 10 dos 12 pontos disputados sob seu comando no Campeonato Brasileiro, foi arrumar a defesa. O gaúcho dedica boa parte dos treinos - na sexta-feira por mais de duas horas - à zaga. Fala de posicionamento, abusa de bolas aéreas e também não se cansa de pedir ajuda de todos. Até Ronaldo tem dado combate e auxiliado a defesa.

"Mas não adianta ficar só com a bunda colada lá atrás. O time também tem de agredir seus rivais, só assim é possível ganhar jogos", comenta o treinador. Seu esquema é bem parecido com o de Mano Menezes. Alessandro e Roberto Carlos não podem atacar ao mesmo tempo e Chicão e William têm enorme proteção de Ralf. Os demais jogadores também são orientados a ajudar na marcação. "Não precisam dar enorme combate, mas cercando desde a saída de bola já ajudam bastante."

Dando moral ao elenco e adotando discurso de que defender não é demérito para um time grande, Tite conseguiu recuperar o ânimo e a confiança dos corintianos. Foi apenas um gol sofrido em quatro jogos e oito marcados, resultando em três vitórias, um empate e a vice-liderança. "O Tite reorganizou a nossa equipe. Estávamos muito expostos", reconheceu, na semana passada, o lateral-esquerdo Roberto Carlos, que, após os 2 a 0 contra o São Paulo, no domingo, elogiou a zaga. "Nossa defesa foi perfeita", comemorou. O setor melhorou com o retorno de Chicão ao lado de William.

Nova decisão. No sábado, o Corinthians tem jogo decisivo para que se defina quem vai, até a rodada decisiva, brigar pelo título com o líder Fluminense. No Pacaembu, o Alvinegro recebe o Cruzeiro (ambos dividem o segundo lugar, com 60 pontos), às 19h30 - ingressos começam a ser vendidos amanhã -, e não será surpresa se a estratégia for de apostar nos contra-ataques. "Agora não existe mais o psicológico, temos de conseguir os três pontos", afirmou Ronaldo, animado com a sequência positiva e com as reais chances de título. Além de ganhar, o Corinthians ainda necessita de um tropeço do Fluminense, com um ponto a mais e com tabela teoricamente fácil, já que São Paulo e Palmeiras, adversários que enfrentará fora de casa, não têm mais tanto interesse na competição.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Timão vence o São Paulo e mantém tabu


Jogadores comemoram o segundo gol do Corinthians


No fim da tarde quente deste domingo (07), o Corinthians foi ao estádio do Morumbi enfrentar a equipe do São Paulo em partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro 2010 e venceu o jogo pelo placar de 0 x 2, com gols de Elias e Dentinho. O resultado manteve o tabu favorável ao Alvinegro, que não perde dos rivais há mais de 3 anos e meio.

Em um clássico importante para as duas equipes, os dois times começaram o jogo estudando o adversário e buscando encaixar jogadas de ataque. A primeira boa oportunidade do Timão veio logo aos 03min de partida, quando Ronaldo tabelou com Bruno César na entrada da área e chutou forte, à direita do gol de Rogério Ceni. Fora de casa, o Timão enfrentava um São Paulo um pouco mais ofensivo. Aos 11min, em cobrança de falta de muito longe, Roberto Carlos soltou a bomba, mas o goleiro do rival defendeu sem problemas.

Com o passar do tempo, o Corinthians passou a atacar mais. Aos 15min, Dentinho recebeu na entrada da área, invadiu e chutou obrigando Rogério a espalmar para escanteio. Dois minutos depois, Alessandro tocou para Ronaldo receber pela intermediária e chutar novamente perto da trave esquerda do goleiro do São Paulo. Mesmo assim, ambos os times erravam bastante na saída de bola e marcavam forte, fazendo uma partida morna. Aos 29min, após boa jogada de Elias, a bola sobrou para Bruno César dentro da área, mas o meia chutou fraco para o gol.

Dois minutos depois, o Timão passou sufoco. Primeiro com Lucas, que tabelou com Dagoberto e arrematou com força, obrigando Júlio César a fazer bela defesa. No lance seguinte, Jean bateu de longe, Júlio César espalmou a primeira e agarrou a cabeçada na sequência. Aos 34min, o Corinthians revidou em cobrança de falta. Da entrada da área, Chicão buscou o ângulo direito de Ceni, que se esticou para evitar o gol corinthiano. O goleiro não conseguiu evitar, no entanto, que Elias marcasse aos 39min. O volante recebeu ótimo lançamento de Jucilei, dominou e encheu o pé para abrir o placar no clássico. Aos 47min, o árbitro pôs fim ao primeiro tempo com o Coringão na frente.

O Alvinegro voltou para a segunda etapa sem alterações. Da mesma maneira que no primeiro tempo, os adversários pressionavam com uma postura mais ofensiva e o Timão se fechava na marcação. Aos 13min, Ricardo Oliveira chutou quase sem ângulo, obrigando Júlio César a fazer excelente defesa para evitar o gol de empate. O Corinthians não conseguia penetrar na defesa são-paulina e sofria grande pressão dos donos da casa. Aos 22min, Tite fez a primeira mudança no Timão, colocando Danilo no lugar de Bruno César.

O Alvinegro tentava ir para cima do São Paulo em jogadas de contra-ataque, mas errava muitos passes e parava na marcação dos adversários. O Corinthians também marcava bem e conseguia se defender com eficiência das constantes investidas do rival. Júlio César, que fazia mais uma boa partida, salvou o Timão novamente aos 34min, quando Jorge Wagner chutou de primeira de fora da área. Aos 37min, a segunda alteração no Corinthians: Paulinho entrou no lugar de Elias, autor do gol da partida. Em um segundo tempo em que o Corinthians jogava recuado e o São Paulo vinha para cima, quem marcou, no entanto, foi o Todo Poderoso. Alessandro cruzou rasteiro da direita para Dentinho empurrar para o fundo das redes.

O segundo gol deu mais tranuquilidade para o Corinthians, que se fechou de vez nos minutos finais para segurar o resultado. Aos 44min, Tite mexeu pela última vez, colocando Iarley e sacando Dentinho, mas o atacante mal teve tempo para jogar, pois aos 48min Simon decretou o fim de jogo e confirmou a vitória corinthiana. Já são 11 jogos sem perder para o adversário.

Com o resultado, o Corinthians chegou aos 60 pontos e se manteve na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, com um ponto a menos que o primeiro colocado. O próximo desafio para o Alvinegro neste Brasileirão acontece no próximo sábado (13), quando o Timão recebe a equipe do Cruzeiro no Pacaembu, em confronto direto pelo título nacional.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Ronaldo é poupado de treino tático do Corinthians

Enquanto Tite faz trabalho com o restante dos titulares, o Fenômeno realiza fortalecimento muscular na academia
chicao_011010.jpgRonaldo foi poupado do treinamento do Corinthians nesta sexta-feira. A única aparição do Fenômeno em um dos campos do CT Dr. Joaquim Grava, no Parque Ecológico, foi para recepcionar o grupo Jonas Brothers. Após de ser o anfitrião alvinegro ao lado de Roberto Carlos, o atacante se reuniu com o restante do grupo para uma conversa com Tite e depois seguiu para a academia, onde realizou fortalecimento muscular, segundo a assessoria de imprensa do clube.
Na metade do gramado, no entanto, o treinador comandou um treino técnico. Em um minicoletivo, manteve o time titular que usa desde sua chegada. A única alteração foi Dentinho no lugar de R9. A equipe considerada principal foi a seguinte: Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias e Bruno César; Iarley e Dentinho.

Já os reservas foram esses: Moacir, Thiago Heleno, Leandro Castán e Dodô; Edu, Paulinho, Boquita Danilo; William Morais e Defederico.

Jorge Henrique, que se recupera de lesão na coxa esquerda, Souza e Renato, também recém-machucados, fizeram trabalho físico separadamente.

No domingo, o Timão vai ao Morumbi enfrentar o São Paulo, pela 34ª rodada do Brasileirão. A um ponto do líder Fluminense, luta para voltar a ponta da tabela.

Clássico paulista tem duelo de zagas badaladas e pouco utilizadas

Pilares do sistema defensivo de São Paulo e Corinthians nos últimos anos, Alex Silva/Miranda e Chicão/William atuaram em 29 dos 66 jogos dos times
chicao_020310.jpgDe 2006 para cá, São Paulo e Corinthians dominaram o futebol brasileiro quando o assunto é sistema defensivo. Muito disso por conta de um quarteto de respeito que estará em campo neste domingo, às 17h (de Brasília), no Morumbi, para um Majestoso que pode decidir muita coisa no Campeonato Brasileiro. Do lado tricolor, Alex Silva e Miranda. Do alvinegro, Chicão e William. As parcerias são as mais badaladas do país nos últimos anos.
No São Paulo, a dupla defensiva atuou junta em dois dos três títulos brasileiros seguidos da equipe, entre 2006 e 2008. Alex Silva deixou o clube em agosto de 2008 com uma marca importantíssima: o Tricolor teve a defesa menos vazada do Brasileirão nos dois anos em que atuou ao lado de Miranda. Em 2006, o time levou 32 gols em 38 jogos. Em 2007, no mesmo número de partidas, foram apenas 19 - média incrível de 0,5.

o momento em que a dupla do Morumbi se desfazia - Alex Silva foi para o Hamburgo, da Alemanha -, uma nova parceria se formava no Parque São Jorge. Indiretamente, Alex e Miranda passaram o trono para Chicão e William no posto de melhor zaga do país. No início de 2008, quietinhos, com o Timão na Série B, eles chegaram e foram os pilares de Mano Menezes para que a equipe sofresse poucos gols na competição: 29 em 38 rodadas. Juntos, venceram a Segundona, além do Paulista e da Copa do Brasil, ambos em 2009. Os são-paulinos têm dois títulos: os Brasileiros de 2006 e 2007.

Se em títulos os corintianos têm maior número, os são-paulinos equilibram a disputa em outro quesito: Seleção Brasileira. Ambos já foram convocados para vestir a camisa amarelinha, na Era Dunga. Miranda jogou a Copa das Confederações de 2009, enquanto Alex participou da Copa América de 2007 e das Olimpíadas de Pequim, em 2008. Enquanto isso, Chicão e William não tiveram chances - o primeiro ainda pode ser lembrado por Mano Menezes, enquanto o segundo, que já atuou em seleções de base, deve se aposentar ao final da temporada.
Na atual edição do Brasileiro, as defesas não possuem números tão positivos: o Timão levou 39 gols, e o Tricolor, 46. O que mais se destaca individualmente é Alex. No Troféu Armando Nogueira, ele é o líder entre os zagueiros, com média 6,02 em 17 jogos. Nessas partidas, ele cometeu poucas faltas e foi um bom ladrão de bolas: média de 1,41 falta por jogo e 2,05 desarmes com sucesso. O camisa 3 levou sete cartões amarelos e um vermelho.
Seu companheiro, Miranda, atuou 25 vezes no Brasileirão e tem média 5,43 no Troféu Armando Nogueira. Os números são um pouco inferiores aos de Alex, mas estão dentro de uma boa performance, ainda que o camisa 5 não esteja em sua melhor fase. São nove cartões amarelos e nenhum vermelho. Ele comete apenas 1,16 falta por jogo e faz dois desarmes por confronto. Juntos, jogaram apenas 12 dos 33 duelos são-paulinos.

Pelo Timão, Chicão e William sofreram com lesões e problemas físicos e também não atuaram tanto juntos - pouco mais da metade dos jogos da equipe. A parceria se formou em 17 das 33 rodadas, sendo que em uma delas, contra o Vitória, Chicão saiu machucado logo no início da partida. O camisa 3 tem sete amarelos, 0,8 falta cometida e 2,15 roubadas de bola na média. Tudo isso em 20 partidas. No Armandão, tem média 5,42.
O capitão William, que atuou 27 vezes, também levou sete advertências na competição. Possui média 5,48 no Troféu Armando Nogueira, rouba 1,25 bola por jogo e comete 1,22 falta.
No jogaço de domingo, o resultado vai depender muito do equilíbrio desses duetos de sucesso. Os são-paulinos terão de marcar nada menos que Ronaldo, além de Elias, Dentinho, Bruno César... Os corintianos não têm tarefa mais fácil: anular Dagoberto, Ricardo Oliveira e a revelação Lucas. Talento e estrela, os defensores mostraram que já têm. Quem conseguir neutralizar melhor o ataque rival certamente sairá sorrindo do Morumbi.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Tite indica ao menos quatro reforços para 2011

chicao_020310.jpgTite e a diretoria já conversam sobre a necessidade de reforçar o Corinthians para eventual disputa da Libertadores em 2011. E chegaram à conclusão de que precisam de reforços em pelo menos quatro posições.

O principal objetivo é contratar um atacante que possa ser o titular da camisa nove quando Ronaldo não puder atuar. A outra prioridade é trazer um zagueiro para formar dupla com Chicão. Também estão sendo observados jogadores para compor elenco - reservas para as posições de Roberto Carlos e Ralf.

Para o ataque, Adilson Batista havia pedido a contratação de Guilherme, que está insatisfeito no Dínamo de Kiev. Agora com Tite, o nome de André, ex-Santos, também entrou na pauta. Mas essa é uma contratação mais complicada porque o mesmo Dínamo de Kiev pagou recentemente 8 milhões (R$ 19,2 milhões) ao Peixe.

A diretoria já havia decidido pela contratação de um atacante antes da chegada de Tite. São vários os motivos. Primeiro porque a presença de Ronaldo é sempre uma incógnita. Além disso, Souza será negociado. Ou seja, se o Fenômeno não puder atuar sobrariam apenas Dentinho, Iarley e Jorge Henrique.

Para a zaga, será necessário contratar um zagueiro para substituir William, que encerrará a carreira no fim do ano. Thiago Heleno havia sido contratado para isso, mas perdeu espaço depois da saída de Adilson Batista.

A lateral esquerda e a posição de primeiro volante são consideradas carentes porque não há reversas para Roberto Carlos e Ralf. Para a lateral, Egídio, do Vitória, foi sondado. O volante Cristian, que está no Fenerbahçe, disse recentemente que gostaria de voltar ao Parque São Jorge, mas não há negociação em curso.

Tite não quer falar sobre reforços porque diz que sua cabeça está voltada para a reta final do Brasileiro.

Timão goleia Avaí e fica a um ponto do líder. São Paulo deu uma força

omemoração em dose dupla no Pacaembu. Além do triunfo em casa, a Fiel agradeceu a ajuda do Tricolor, que venceu o Cruzeiro em Minas


Quando uma vitória por 4 a 0 vale como um 6 a 0? No caso do Corinthians, valeu esta noite. Além de ter comemorado o triunfo sobre o Avaí, no estádio do Pacaembu, os corintianos celebraram também os 2 a 0 do rival São Paulo em cima do Cruzeiro, rival direto do Alvinegro na briga pelo título do Brasileirão. Os gols dos anfitriões foram marcados pelo aniversariante Bruno César, Elias e Ronaldo (2).


E valeu a pena o torcedor do Timão ficar com um olho no placar eletrônico e outro no campo. Com o triunfo sobre os catarinenses somado à vitória do São Paulo sobre o Cruzeiro, o Corinthians foi a 57 pontos, passou os mineiros, assumiu a segunda posição e ficou a apenas um ponto do líder Fluminense, que empatou com o Inter.

Já o Avaí, que infantilmente perdeu dois jogadores expulsos, continua na zona de rebaixamento, com 33 pontos. Se tivesse conseguido ao menos um empate, a situação estaria melhor, mas com a derrota é necessário uma reação mais do que rápida para a equipe catarinense conseguir sobreviver na Série A.

O Corinthians volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no domingo, às 17h. O adversário será o rival São Paulo, no estádio do Morumbi. Já o Avaí volta a jogar na Ressacada, em Florianópolis, contra o Botafogo. O duelo será no mesmo horário.

Chuta, Bruno César!

Demorou, mas o Corinthians engrenou ainda no primeiro tempo da partida. O Avaí, cauteloso demais, manteve seus onze jogadores no campo de defesa e tentou alguns contra-ataques. Na maioria das vezes em impedimento. Nos primeiro minutos, o Timão parecia nervoso. Perdeu bolas bobas e não levou perigo.

Ronaldo, por exemplo, quase não tocou na bola. Quando a tinha nos pés optava por tocar de primeira. Deu mais errado do que certo. Mais uma vez, então, o jeito foi explorar a ousadia de Bruno César. Como se movimenta o camisa 10 do Corinthians. Ele tenta pela esquerda, pela direita, pelo meio...

E tenta também de fora da área. Quando o Timão mais sentia dificuldade em abrir espaços na zaga catarinense, o meia alvinegro arriscou de longe aos 19 minutos. Girou o corpo e bateu de perna esquerda. Surpreso com o lance, o goleiro Zé Carlos ainda encostou na bola, mas ela entrou no seu ângulo esquerdo: 1 a 0.

Apesar da desvantagem, o Avaí não estava entregue. Tinha chances de reagir. Mas uma infantilidade de Robinho prejudicou a equipe de Florianópolis. Aos 34 minutos, o atacante, que já tinha cartão amarelo, colocou a mão na bola, levou o segundo e acabou expulso de campo. A torcida alvinegra comemorou como se fosse gol.

Por falar em gol, era para ter saído outro, não fosse o erro de Iarley aos 44. Depois de linda tabela com Bruno César, Elias deixou o companheiro na cara do gol. Mas ele se atrapalhou, dominou errado e perdeu chance incrível. Foi a senha para a torcida pedir a entrada de Dentinho, que retornou à equipe no banco de reservas.

Elias matador

Apesar dos pedidos da Fiel, o técnico Tite não colocou Dentinho logo de cara no segundo tempo. Resolveu dar mais uma chance a Iarley, até para preservar o jogador e não desmotivá-lo. Do lado do Avaí, Vagner Benazzi também não mudou nada. Voltou para a etapa final com o mesmo time que terminou a primeira parte.

Mas Iarley não teve sossego. Bastava tocar na bola e a torcida pegava em seu pé, pedindo a entrada de Dentinho. Só que um fato lá em Uberlândia, Minas Gerais, acalmou a Fiel. Gol do São Paulo contra o Cruzeiro. É raro, muito raro, mas a torcida alvinegra comemorou o feito do rival, que marcou com Lucas.

A comemoração só não foi maior porque Ronaldo perdeu gol incrível aos 10. Ele recebeu de Elias, de frente para o goleiro e bateu em cima de Zé Carlos. Ah se fosse o Iarley... Mas ele teve outra chance de irritar a torcida. Aos 14, recebeu de Elias de novo e perdeu a passada novamente. Dentinho foi chamado.

Na saída de campo, Iarley contou com o apoio dos companheiros, que o cumprimentaram e aplaudiram. Enquanto isso, o Avaí nada fazia para tentar a reação. Com um a menos, limitou-se a defender. Explorou alguns contra-ataques, é verdade, mas parou na segura defesa dos donos da casa.

Soberano em campo, o Timão chegou ao segundo gol aos 20 minutos. Alessandro fez boa jogada pela direita e cruzou para chegada de Elias, que bateu colocado: 2 a 0. Com o resultado nas mãos, o Corinthians tirou o pé. Mas foi ajudado ainda mais pelo Avaí. Emerson fez falta em Ronaldo e levou o cartão vermelho.

Sobrou tempo, então, para Ronaldo deixar a sua marca aos 38 e aos 44minutos. Primeiro ele recebeu de Roberto Carlos perto da meia-lua e bateu rasteiro, sem chance para Zé Carlos. E depois fez de pênalti, dando números finais à partida: 4 a 0.

 
Carbon 12 Blogger template by Blogger Bits. Supported by Bloggermint